Tag Archives: técnica

Fusões e sensações em aquarela – com Carlos Avelino

Em uma rotina de pintura experimental, onde se descarta mais do que acerta, é sempre bom parar um pouco e buscar pela técnica. Dessa forma você pode … continuar experimentando, mas com um pouco mais segurança.

Nessa busca, participei recentemente de um workshop em Brasília, com o grande Carlos Avelino, mais conhecido como ‘Avelino’. Além de ilustrador e animador o cara é um aquarelista de mão cheia. Já estudou com outro Mestre, o Carcamo (que dispensa comentários) e já vem há algum tempo ministrando aulas em São Paulo e em outros estados também. Suas aquarelas são vibrantes e inegavelmente belas, mas confesso que o que me atraiu mesmo foram as fusões. Nome esse que inclusive intitula o seu Workshop.

avelino_4 (O povo praticamente em transe só observando)
aquarela-avelino
(Aquarela de Carlos Avelino)

As fusões fazem toda a diferença em trabalhos de Aquarela, pois suavizam as transições de cores e formas, eliminando bordas e divisões muito evidentes. Precisa existir uma harmonia e uma fluidez que fazem com que o trabalho realmente seja aquarela e não uma ilustração criada por outro meio. (E isso demanda prática e tempo.)

 

avelino_2
Estudo realizado no workshop. Entrei com a composição e a primeira aguada. O Avelino matou com essas sombras sensacionais e eu finalizei a folhagem das árvores e detalhes.

 

 

avelino-3

Aqui, no segundo dia em atividade de plein air. A fotografia não se compara a essa experiência porque aqui você exercita muito mais o senso de percepção e criatividade ao traduzir o que se vê para a tela. E isso envolve seletividade e eliminação de detalhes que as vezes não contribuem para a pintura em aquarela. Novamente, o Avelino deu todo o suporte e intervenção. Impressionante como ele conseguia em tempo recorde atender e até salvar algumas tentativas fadadas ao fracasso. Nesse tipo de atividade, é sempre bom ir preparado para o previsto e para o imprevisto. Em poucas horas passamos por sol, chuva, insetos apreciadores de arte e até alguns vendedores ambulantes que não só ofereciam produtos pra comprar, mas também transitavam pelo universo da filosofia com alguns discursos. Mas faz parte da aventura.

Importante dizer que o Workshop foi organizado pela escola de Arte Par de Ideias. Agradecimento especial a Maisa e a Julia pela atenção, organização e suporte do Evento.

workshop-carlos-avelino

http://ave-lino.blogspot.com.br/

https://www.facebook.com/carlos.avelino.10

http://www.pardeideias.com.br/

 

Aventuras errantes com pena e pincel

watercolor

Eu tenho uma mesa digitalizadora profissional.  Ferramenta muito boa que utilizo para eventuais trabalhos que exigem determinado padrão seja para web, impressão ou simplesmente para agilizar as coisas em situações que demandam um prazo mais apertado.
Mas se tratando de trabalhos pessoais, experiências, aquele rabisco nosso de cada dia, nada como tinta e papel.  Não tem como dizer que o tradicional é melhor que o digital e vice-versa, sendo que muitas vezes as técnicas até convergem. Ambas demandam aprendizado e não oferecem muita coisa sem o mínimo de talento ou vontade de fazer.
Só que pra mim a coisa vem da sensação, do prazer de sujar os dedos e unhas na tinta, de improvisar, de remendar e de exercitar o desapego do ‘ctrl+z’ que não tem preço . Ainda que o resultado possa variar do tosco ao satisfatório, não importa. As vezes Arte é apenas uma questão de necessidade.

———–\\———

I’ve got a Graphic Pen Tablet for drawing. A very good tool indeed that I usually use for specific commissions or simply to speed things up, once the deadline is too tight. It really depends of the situation. However, speaking of personal stuff or everyday doodles, nothing else can be more enjoyable than ink and paper. Certainly the traditional media will ever substitute the digital media or vice versa and occasionally both methods might even converge. Both techniques require learning, talent and strength.
But the thing is that for me I need to feel the sensation, the pleasure of have ink on my fingers and nails, be able to improvise and not only rely on the ‘ctrl+z’ whenever I need to. Well, this kind of thing is priceless. Even though the result may range between the awkward and tolerable. Because sometimes Art is just a matter of necessity.