Tag Archives: watercolor

Deixe a luz entrar

let-the-light
Outro teste focando em luz e profundidade. Busquei a referência em uma cena de um seriado na TV, que eu trabalhei contraste e imprimi depois. A propósito, a cinematografia é também fascinante por ser uma uma fonte inesgotável de inspiração e estudo para a concepção de projetos visuais como desenhos ou pinturas, principalmente no que tange aspectos de luz, temperatura da cor, angulo, atmosfera, etc.. Da mesma forma, a mesma mídia tradicional utilizada em storyboards e pinturas, servem como fundamento para desenvolvimento da cena que posteriormente será filmada.  Um círculo perfeito.

Another practice aiming light and depth. I found the reference while watching a TV show that I printed out afterwards. By the way, cinematography is something fascinating because one single scene provides an endless source of inspiration for traditional media, regarding composition, color temperature, angle, atmosphere, etc. Likewise, the same traditional media used in storyboards and paintings, provides the foundation for a filmmaking project.
Isn’t that a perfect cycle ?

progress

reference-drawing

Advertisements

In the Garden of Beasts

beasts-watercolor

A personal painting based on a photograph that I saw. As usual I try to apply my style aiming to enhance the sense of fantasy. I like to think that as a cover children’s book.

Pintura baseada em uma foto que vi. Como de costume, tento imprimir um estilo próprio e nesse caso reforçando a ideia da fantasia. Gosto de pensar nisso como uma capa para um livro infanto juvenil por exemplo.

(watercolor on rough paper 28×40 cm)

Registros de Paranapiacaba

aquarela-de-paranapiacabaWatercolor on arches rough paper – 300 gsm

Algumas horas em Paranapiacaba (60 km da cidade de São Paulo), já é tempo suficiente para você sentir que o lugar é uma verdadeira ode à história. Fundada estrategicamente no alto de uma colina, por uma empresa inglesa no século XIX, o vilarejo teve papel fundamental  na operação de estradas de ferro do interior paulista. Tem museu ferroviário, tem sorvete e cachaça de cambuci, tem subida, tem descida, tem comida boa, tem calor, tem frio, neblina e… tem cachorro na rua. Deus, como tem.

A couple of hours in Paranapiacaba (60 km far from São Paulo city) is enough time to feel the historical vibe of the place. Founded strategically on top of the hill in 19th century by a British company, the village played an important role regarding the railway transportation service in the countryside of São Paulo. In Paranapiacaba you’ll find a very nice railway museum, delicious cambuci Ice cream (cambuci is a native fruit) as well as cambuci liquor. Nice food and snacks. Also, be prepared to walk a little bit (some up hill ) while you admire all the charming streets and houses.

paranap-1

foto

A arquitetura e o maquinário antigo, fazem do local um cenário
perfeito para fotografar.

The architecture and the old machinery, make a perfect spot to
practice photography.

paran-3

paran-4
As vezes a sensação é de estar dentro do set de filmagem de Walking Dead
ou coisa parecida.

Sometimes you can also feel like inside of the Walking Dead’set.

paran-6

 

relogio-parana

A principal dica que deixo pra quem pretende visitar, é chegar cedo . O tempo nessa região muda abruptamente alternando entre sol e uma densa neblina que vem da serra e que cobre a vila quase todos os dias. Assim, chegando o quanto antes você pode aproveitar calor e frio, não necessariamente nessa ordem, claro.

For those who intend to visit the place, I strongly advise you to go as earlier as possible in the morning. Due to an unusual weather phenomenon of the region, suddenly a sunny day may become a foggy and atmospheric day. Therefore, the sooner you arrive, the better your chances of enjoying both temperatures.

Veja aqui, mas informações de como chegar e o que mais aproveitar em Paranapiacaba.

Check out here more information about how to get there and
what to do in Paranapiacaba.

Daredevils

watercolor-catswatercolor on Arches rough paper – 300 gsm

Baseado em foto do francês Édouard Boubat (1923 – 1999). Um amante dos gatos e da fotografia do cotidiano.

Based on the photograph of Édouard Boubat (1923 – 1999).  A cat lover and specialist in urban life photography.

Refletindo

rainyAquarela no papel arches 300g. O plano era fazer o cara da frente pulando uma poça d’água, entretanto, mais parece estar dançando. São os chamados ‘acidentes felizes’ da pintura.

Watercolor on arches rough paper 300gsm. The guy on the foreground was supposed to be jumping the puddle, but he ended up like dancing. I love these watercolor happy accidents.